Links sobre a corrida

Matérias do EducaRede

postado em 13 de jan de 2010 06:03 por Usuário desconhecido

Universia

postado em 13 de jan de 2010 05:57 por Usuário desconhecido

http://www.universia.com.br/noticia/materia_dentrodocampus.jsp?not=17266

Atleta da Uniara ganha dois troféus na S. Onofre

O atleta adotado da Uniara, Marcelo Cabrini, ganhou dois troféus de primeiro lugar na 25ª edição da Corrida de Santo Onofre, realizada no último dia 31 de dezembro, em Araraquara. Ele venceu na categoria geral e juvenil, disputando com cerca de 200 atletas.

De acordo com Marcelo, que passou para a 3ª série do curso de Educação Física da Uniara, a competição teve sete quilômetros e foi bastante tranqüila. "Assumi a liderança na metade da prova", disse.

Cabrini disputa a Santo Onofre desde 1998, quando ficou com o segundo lugar na categoria mini; em 2000 foi o primeiro colocado na categoria infantil; em 2001 ficou na útima colocação no juvenil e em 2002 foi o campeão na mesma categoria.

Fonte: Uniara

Jornal de Araraquara

postado em 12 de jan de 2010 04:32 por Usuário desconhecido

Cabrini é nome fortehttp://www.jornaldeararaquara.com.br/home.pas?codmat=28027&pub=2&edicao=


Da Redação

A competição masculina da Corrida de Santo Onofre com preparativos de aproximadamente 300 atletas.

É a revelação de Marcelo Cabrini, 20, fundista vinculado à Fundesport, após duas recentes conquistas em provas de rua. Venceu no dia 11 a Delta/Supermercados em Piracicaba, deixando em segundo lugar Márcio Ribeiro, medalha de ouro nos 1.500 metros nos Jogos Abertos em Botucatu e terceiro colocado na Prova Volta USP/2004, disputada em São Carlos, quando dois quenianos ficaram com as duas primeiras colocações.

No último sábado, Marcelo Cabrini ganhou a São Silvestre de Mococa, competição de 6.000 metros, com tempo de 17'45".

Agora, afirmou o jovem atleta, mais confiante, "vou em busca do título da Corrida de Santo Onofre. Essas duas vitórias foram importantes, estou num bom momento e acredito num ótimo desempenho neste dia 31".

Os corredores deverão inscrever-se no Gigantão, Pista de Atletismo e o Bar do Zinho, local de saída e chegada da corrida, que terá a largada às 19 horas.

Entrevista com ganhador da 25ª corrida de Santo Onofre

postado em 10 de jan de 2010 11:20 por Usuário desconhecido

Link em: http://www.educarede.org.br/educa/index.cfm?pg=galeria_de_arte.detalhe_texto&id_galeria=152&id_arte=12&id_comunidade=1


ENTREVISTA COM ATLETA VENCEDOR DA 25a  “CORRIDA DE SANTO ONOFRE” - 2004


 A Thaís entrevistou o atleta  , Marcelo Cabrini, de 20 anos de idade, solteiro , estudante e  vencedor da última “Corrida de Santo Onofre”, realizada em dezembro de 2004. Vejamos o que ele disse:

Thaís: Marcelo, quando correu pela primeira vez? E de quantas corridas participou?
Marcelo: Corri pela primeira vez em 1996 e já participei, aproximadamente, de 90 corridas.

Thaís: Quais as colocações? E premiações?
Marcelo: Na categoria mirim: 1o, 2o, 3oe 8o lugares ( 1997, 1998,1999 e 2000 )
Na categoria juvenil: 1o, 2o e 4o lugares ( 2001, 2002 e 2004 )
Na categoria geral: 1o lugar em 2004

Thaís: Em sua opinião, qual é a importância em participar da corrida para a comunidade?
Marcelo: Em primeiro lugar é a interação dos atletas da cidade e da região e em segundo lugar incentivar a prática de esportes para as crianças e ter  um evento esportivo na cidade.

Thaís: E para você?
Marcelo: Importante porque faço uma atividade que gosto e que faz bem para o meu organismo, além de estar junto de amigos atletas de outras regiões e de receber apoio dos familiares.

Thaís: Que motivos levaram você a correr?
Marcelo: Gostava de jogar futebol daí comecei a correr com meu pai para melhorar o condicionamento físico e isso despertou atenção de treinadores e que  me convidaram a integrar a escolinha de atletismo da cidade.

Thaís: Há um preparo físico para a corrida? Qual?
Marcelo: Sim, tem que desenvolver suas qualidades aeróbicas com treinos de grande volume e baixa intensidade  “mesclado” com treino de alta densidade e baixo volume (treinamento aeróbico) treino com aproximadamente 2 horas de duração.

Thaís: Que outras corridas você participou?
Marcelo: Final de 1998: Em Araraquara,  Descalvado,  Matão,  Ribeirão Preto.
1999 : Em Araraquara, Américo Brasiliense,  Matão, Batatais, Santa Lúcia e em São Paulo.
2000: Em Araraquara, Batatais, Matão, Porto Ferreira, Pirassununga, Cubatão, São Caetano do Sul, Santa Lúcia e em São Paulo.

 

2001: Em Araraquara, Matão, Americana, São Caetano do Sul, Franca, Araçatuba, Pirassununga, São Paulo, Taquaritinga, Santa Lúcia.
2002: Em Araraquara, São Carlos, Barueri, Brodoski.
2003: Em Araraquara, Paranapiacaba, Ribeirão Preto, São Caetano do Sul, Americana, Vinhedo.
2004: Em Araraquara, São Paulo, Matão, São José do Rio Preto, Porto Ferreira e São Carlos.

Thaís: Conte-nos um fato curioso que aconteceu em alguma corrida.
Marcelo: Aconteceu em uma corrida no Pinheirinho (Araraquara), choveu um dia antes e formou uma poça onde cinco competidores caíram.

 

Mira Antunes Diniz

"EE Pedro José Neto"

Araraquara - SP

22/08/2005

Entrevista com participantes da corrida de Santo Onofre

postado em 10 de jan de 2010 11:19 por Usuário desconhecido

Link em: http://www.educarede.org.br/educa/index.cfm?pg=galeria_de_arte.detalhe_texto&id_galeria=152&id_arte=11&id_comunidade=1


ENTREVISTAS COM ATLETAS PARTICIPANTES   DA  ‘CORRIDA DE SANTO ONOFRE”

 Caroline, Carolina e Juliana entrevistaram quatro atletas. O primeiro entrevistado foi o senhor Oswalindo da Silva de 64 anos de idade, casado e motorista.   O segundo, Carlos Donizete Rodrigues, casado, 46 anos de idade e funcionário público.   O terceiro, José Luiz Bonifácio de 48 anos de idade, solteiro e monitor de Educação Física e o quarto, Antonio da Silva, 42 anos de idade, casado e técnico em extintores. Todos participam anualmente da “Corrida de Santo Onofre”. Vejamos o que eles disseram.

Carol e Ju: Sr. Oswalindo, quando correu pela primeira vez? E de quantas corridas participou?
Oswalindo: A primeira vez que corri foi em 09 de novembro de 1975 e participei de várias corridas.

Carol e Ju: Quais as colocações? E premiações?
Oswalindo: As colocações de categoria geral são do 1o ao 3o lugar. Geralmente, recebo medalhas, troféus e às vezes dinheiro.

Carol e Ju: Em sua opinião, qual é a importância em participar da corrida para a comunidade?
Oswalindo: A corrida incentiva à comunidade, mostrando que todos devem praticar um esporte, seja qual for.

Carol e Ju: E para o senhor?
Oswalindo: Além de fazer bem para a saúde, troquei os vícios do cigarro e da bebida pelo esporte, nisso comecei a dormir cedo, e estar mais disposto no dia seguinte.

Carol e Ju: Que motivos levaram o senhor a correr?
Oswalindo: Quis parar de fumar, pois sabia que o esporte iria me fazer bem.

Carol e Ju: Há um preparo físico para a corrida? Qual?
Oswaldindo: Sim, há muito treinamento para alcançar os objetivos.

Carol e Ju: Que outras corridas o senhor participou?
Oswalindo: Além da Corrida de Santo Onofre, participei da São Silvestre, Maratona Internacional de São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro, Blumenau, Brasília e as regionais.

Carol e Ju: Conte-nos um fato curioso que aconteceu em alguma corrida.
Oswalindo: No ano de 1978, através de uma corrida que participei, pude estar próximo do ex-presidente da República João Baptista Figueiredo.

 

 

 

 


Carol e Ju: Sr. Carlos, quando correu pela primeira vez? E de quantas corridas participou?
Carlos: Como apreciador desse esporte, corro desde os sete anos de idade. Participei de várias corridas.

Carol e Ju: Quais as colocações? E premiações?
Carlos: Geralmente entre os 50% de corredores na categoria geral e na categoria semi veterano , fiquei entre o 7o e 10o lugar. As premiações são de medalhas.

Carol e Ju: Em sua opinião, qual é a importância em participar da corrida para a comunidade?
Carlos: Em grande parte, é um incentivo para aqueles que querem participar de alguma coisa, sair de uma vida estressante, que nos dias de hoje levamos. Sempre correndo atrás dos compromissos e nunca pensando em nós mesmos, que ao longo do tempo nos desgastamos.

Carol e Ju: E para o senhor?
Carlos: Para mim é um anti-estressante  e cuidando do meu sistema cardio vascular.

Carol e Ju: Que motivos levaram o senhor a correr?
Carlos: Como sempre gostei do esporte, ao ver amigos correndo me interessei pelo atletismo.

Carol e Ju: Há um preparo físico para a corrida? Qual?
Carlos: Sem dúvida. Sem preparo físico não conseguimos correr. Esse preparo é composto por trabalhos aeróbicos e anaeróbicos, alongamentos e condicionamento com pesos.

Carol e Ju: Que outras corridas o senhor participou?
Carlos: Participei da Maratona Internacional de São Paulo e várias pela nossa  micro e macro região.

Carol e Ju: Conte-nos um fato curioso que aconteceu em alguma corrida.
Carlos: Na Maratona de São Paulo mais ou menos na metade da prova, tentei mastigar um tablete de calorias. Aquilo foi enrolando em minha boca, que não descia e nem subia, quase estava me afogando, pois virou uma pasta em minha boca. Tive que forçar o vômito para que a pasta pudesse sair.
Outro fato que me aconteceu, foi quando colocaram um chip dentro do meu tênis, e no decorrer da corrida, este foi entrando em meu pé, causando um ferimento, que me impossibilitou de fazer uma prova rápida.

 

 

 

 

Carol e Ju: Sr. José Luiz  , quando correu pela primeira vez? E de quantas corridas participou?
José Luiz: Minha primeira prova foi em novembro de 1974. Participei de competições por nove anos.

Carol e Ju: Quais as colocações? E premiações?
José Luiz: Em jogos regionais, durante seis anos, fiquei como vice-campeão. As premiações foram medalhas de bronze, prata e ouro, no campeonato de pedestrialismo.

Carol e Ju: Em sua opinião, qual é a importância em participar da corrida para a comunidade?
José Luiz: A importância para a comunidade é a  motivação e o interesse das corridas realizadas.

Carol e Ju: E para o senhor?
José Luiz: Para mim, a importância é a minha saúde.

Carol e Ju: Que motivos levaram o senhor a correr?
José Luiz: Os motivos que me levaram a correr foram à influência dos amigos, mas o que me atraía nas competições era a alimentação servida.

Carol e Ju: Há um preparo físico para a corrida? Qual?
José Luiz: Existem alongamentos e aquecimentos e também muita dedicação dos atletas.

Carol e Ju: Que outras corridas o senhor participou?
José Luiz: Participei da São Silvestre, de Jogos Abertos, Santo Onofre, Troféu Brasil em São Paulo e Troféu Bandeirantes,  também em São Paulo.

Carol e Ju: Conte-nos um fato curioso que aconteceu em alguma corrida.
José Luiz: Fique surpreso ao ver uma menina de doze anos vencer uma corrida dos Jogos Abertos e os sentimentos de alegria e frustração que sinto quando venço ou perco alguma corrida.

Carol e Ju: Sr. Antonio, quando correu pela primeira vez? E de quantas corridas participou?
Antonio: Faz uns dezesseis ou dezessete anos. Participei de muitas corridas.

Carol e Ju: Quais as colocações? E premiações?
Antonio: Fiquei em primeiro lugar na Corrida de Santo Onofre. As premiações foram troféus e medalhas.

Carol e Ju: Em sua opinião, qual é a importância em participar da corrida para a comunidade?
Antonio: Incentiva os adultos que se sentem impossibilitados, e quando assistem a uma corrida, se sentem estimulados.

Carol e Ju: E para o senhor?
Antonio: Para mim, tudo é importante no atletismo.

Carol e Ju: Que motivos levaram o senhor a correr?
Antonio: Comecei a correr em uma corrida de 1ode maio, eu corria em algumas corridas, e isso foi muito importante.

Carol e Ju: Há um preparo físico para a corrida? Qual?
Antonio: Há uma base de alongamentos e um bom aquecimento.

Carol e Ju: Que outras corridas o senhor participou?
Antonio: Participei da Santo Onofre, Integração, Poços de Caldas, Meia Maratona de Guariba, Bauru, Jaú, USP São Carlos e Ouro Fino em  Minas Gerais.

Carol e Ju: Conte-nos um fato curioso que aconteceu em alguma corrida.
Antonio: Mesmo machucado em uma corrida, consegui o  2olugar. Já trombei em uma vaca e, em uma corrida, eu e alguns competidores passamos em uma linha de trem. Havia muitas pessoas, e nós ficamos parados sem saber o que fazer.

 

Mira Antunes Diniz

"Pedro José Neto"

Araraquara - SP

22/08/2005


A História da "Corrida de Santo Onofre"

postado em 10 de jan de 2010 11:18 por Usuário desconhecido

Link em: http://www.educarede.org.br/educa/index.cfm?pg=galeria_de_arte.detalhe_texto&id_comunidade=1&id_galeria=152&id_arte=16

Firmou-se como tradição em Araraquara, na década de 1980 a “Corrida de Santo Onofre”, realizada no dia 31 de dezembro, integra um pequeno rol de eventos que merecem a aprovação de toda população sem distinções.

A História da “Corrida de Santo Onofre”

Em uma tarde nos últimos dias de 1980. Estavam no bar apenas Zinho, Dario de Lima um menino de 12 anos e um freqüentador habitual: Adail Pinto Mendes. Um morador da redondeza, Osvaldo Peixoto, O Bahia, chamou a atenção do Zinho por sua disposição e forma física. Adail, para fazer algum comentário, disse que seria capaz de vencer Bahia numa corrida.
Zinho desafiou o amigo, dizendo que não seria sequer capaz de vencer o menino Dario numa volta na quadra. Logo nos primeiros 100 metros, o menino estava na frente. Quando dobraram a esquina nos últimos sem metros, surpreendentemente Adail vinha com larga vantagem.
Zinho, achando aquilo estranho, questionou-lhes e o menino respondeu-lhe mostrando a nota de mil cruzeiros que o adversário lhe dera. Adail não  se entregou, e pouco a depois desafiou Bahia, porém novamente perdeu. Ainda assim, Adail persistiu afirmando ser especialista em corridas de longa distância. Por isso marcaram uma corrida valendo a aposta de uma caixa de cerveja. Alguns  outros fregueses aderiram à idéia e a disputa ficou marcada para acontecer no mesmo horário da “São Silvestre”.
A  partida foi marcada com uma espingarda. Vendo que alguns corredor estavam alterados, Zinho pediu o apoio do Corpo de Bombeiros. A partir de então é tradição o Corpo de Bombeiros durante a  corrida estar presente.
Ano a ano  a corrida vem sendo realizada, e cada vez com mais repercussão e um maior número de atletas. Ela  só foi recebeu um nome quando os freqüentadores do bar decidiram que era preciso batizar o evento, com o nome  “Santo Onofre”, que foi logo aceito com patrono da corrida.
Numa primeira fase, que durou 5 ou 6 anos, o trajeto da corrida era de aproximadamente 1400 metros, começando e terminando no bar. O trajeto que vigora atualmente é de aproximadamente 6000 metros.
Um grande número de araraquarenses participam da corrida e no últimos  anos atletas de cidades próximas e distantes como São Paulo e Brasília se fazem presentes.
Daniel  Marcos Rodrigues, o Zinho, era ajudado pôr sua esposa Lindaura Terezinha Rodrigues, que cuida da cozinha e dos quitutes. A aproximadamente um ano, Zinho vendeu o bar, e tenta tranferiu para as mão de Prefeitura de Araraquara a realização da corrida, que completa em 2005, 26 anos.

 

Mira Antunes Diniz

EE. Pedro José Neto

Araraquara - SP

10/11/2005

1-6 of 6