A História da "Corrida de Santo Onofre"

postado em 10 de jan de 2010 11:18 por Usuário desconhecido
Link em: http://www.educarede.org.br/educa/index.cfm?pg=galeria_de_arte.detalhe_texto&id_comunidade=1&id_galeria=152&id_arte=16

Firmou-se como tradição em Araraquara, na década de 1980 a “Corrida de Santo Onofre”, realizada no dia 31 de dezembro, integra um pequeno rol de eventos que merecem a aprovação de toda população sem distinções.

A História da “Corrida de Santo Onofre”

Em uma tarde nos últimos dias de 1980. Estavam no bar apenas Zinho, Dario de Lima um menino de 12 anos e um freqüentador habitual: Adail Pinto Mendes. Um morador da redondeza, Osvaldo Peixoto, O Bahia, chamou a atenção do Zinho por sua disposição e forma física. Adail, para fazer algum comentário, disse que seria capaz de vencer Bahia numa corrida.
Zinho desafiou o amigo, dizendo que não seria sequer capaz de vencer o menino Dario numa volta na quadra. Logo nos primeiros 100 metros, o menino estava na frente. Quando dobraram a esquina nos últimos sem metros, surpreendentemente Adail vinha com larga vantagem.
Zinho, achando aquilo estranho, questionou-lhes e o menino respondeu-lhe mostrando a nota de mil cruzeiros que o adversário lhe dera. Adail não  se entregou, e pouco a depois desafiou Bahia, porém novamente perdeu. Ainda assim, Adail persistiu afirmando ser especialista em corridas de longa distância. Por isso marcaram uma corrida valendo a aposta de uma caixa de cerveja. Alguns  outros fregueses aderiram à idéia e a disputa ficou marcada para acontecer no mesmo horário da “São Silvestre”.
A  partida foi marcada com uma espingarda. Vendo que alguns corredor estavam alterados, Zinho pediu o apoio do Corpo de Bombeiros. A partir de então é tradição o Corpo de Bombeiros durante a  corrida estar presente.
Ano a ano  a corrida vem sendo realizada, e cada vez com mais repercussão e um maior número de atletas. Ela  só foi recebeu um nome quando os freqüentadores do bar decidiram que era preciso batizar o evento, com o nome  “Santo Onofre”, que foi logo aceito com patrono da corrida.
Numa primeira fase, que durou 5 ou 6 anos, o trajeto da corrida era de aproximadamente 1400 metros, começando e terminando no bar. O trajeto que vigora atualmente é de aproximadamente 6000 metros.
Um grande número de araraquarenses participam da corrida e no últimos  anos atletas de cidades próximas e distantes como São Paulo e Brasília se fazem presentes.
Daniel  Marcos Rodrigues, o Zinho, era ajudado pôr sua esposa Lindaura Terezinha Rodrigues, que cuida da cozinha e dos quitutes. A aproximadamente um ano, Zinho vendeu o bar, e tenta tranferiu para as mão de Prefeitura de Araraquara a realização da corrida, que completa em 2005, 26 anos.

 

Mira Antunes Diniz

EE. Pedro José Neto

Araraquara - SP

10/11/2005

Comments